domingo, 17 de dezembro de 2017

_E se o Karaté fosse música?

_E se o Karaté fosse música?

Hoje no Dojo ou Pavilhão estaríamos a ouvir Mozart! Bach! Ou Beethoven!

De Gaia a Famalicão sentimos a presença de um: 

  • Saber Ser!
  • Saber Estar!
  • Saber Fazer!

Estamos com pais e mães que anseiam dar: 

  • Conhecimento;
  • Sabedoria;
  • Resiliência.
Aos seus filhos ansiosos por:

  • Viver;
  • Crescer;
  • Sentir.
E é neste sentimento, neste pulsar que o Mestre nos torna:

  • Especiais;
  • Únicos;
É precisamente neste momento, que verificamos que estamos vivos, e ao sentir as técnicas, os Katas, ...
Crescemos e sentimos uma melodia especial, um Arpejo musical que não é de "Dó menor ou maior", uma harmonia entre o Mestre e o aluno, local onde não existem gatilhadas, ou notas soltas.

Somos um só, varias teclas que juntas criam algo de transcendente!

Perante a ausência de um dos cinco sentidos, o Mestre consegue intuitivamente "Criar" como se de Beethoven se tratasse...

Podemos copiar modelos! 
Podemos adoptar comportamentos e formas de ministrar similares!

Mas existe algo que diferencia:
  • A carruagem da frente e a automotora! 
  • O Piloto e os passageiros!

Estes Mestres que irrompem pelas encruzilhadas do destino, apontando o "Caminho" perante a escuridão dos sons e movimentos.

Felizes aqueles ...que os contemplam!

"Coach abcdocrime"